Impacto das scooters elétricas na mobilidade urbana

Home / Scooter Elétrica / Impacto das scooters elétricas na mobilidade urbana

Lovely young couple driving electric bike during summer
02 maio, 2023

Você sabe dizer qual é o impacto das scooters elétricas na mobilidade urbana? 

De que forma o veículo contribui com a aplicação deste conceito? 

E como ele pode colaborar com a sustentabilidade, praticidade e qualidade de vida?

O que é sustentabilidade? Entenda de uma vez por todas este conceito

É o que você descobrirá neste artigo. 

Impacto das scooters elétricas na mobilidade urbana 

O impacto das scooters elétricas na mobilidade urbana é um assunto que deve ser discutido urgentemente e amplamente.

Afinal, o congestionamento das cidades grandes vem crescendo a cada dia. Sem contar o transporte público, que está cada vez mais lotado. 

Neste cenário, as scooters elétricas surgem como uma alternativa de transporte viável e, sobretudo, sustentável.

Em suma, porque além de agilidade, esses veículos chamam atenção pela praticidade e também por contribuir com a redução de poluentes na atmosfera.

Transportes não poluentes: quais são e por que usá-los?

Então vamos lá entender melhor sobre esses veículos, esse conceito e o impacto das scooters elétricas na mobilidade urbana?

Veja também: Scooter Elétrica: Vantagem e solução em mobilidade urbana

O que é mobilidade urbana?

Para começar, vamos entender melhor o conceito de mobilidade urbana. 

Diferente do que muitas pessoas pensam, ele não se resume em deslocamento, mas passa sobretudo por segurança, produtividade e qualidade de vida. 

Entenda o que é mobilidade urbana

Seu objetivo é garantir as condições necessárias que viabilizem a circulação de pessoas, cargas e mercadorias com qualidade, praticidade e eficiência.

E, com isso, assegurar maior fluidez no espaço urbano, tornar a cidade mais acessível para aqueles que a habitam e melhorar a qualidade de vida das pessoas de forma sustentável.

Desafios da mobilidade urbana

Por outro lado, não podemos negar que a mobilidade urbana enfrenta uma série de desafios no país e também no mundo.

Mercado da Scooter Elétrica na mobilidade urbana na América Latina

No Brasil, o crescimento desordenado das cidades e a baixa qualidade do transporte público, do asfalto urbano, das calçadas e das vias de circulação, estão entre eles.

Assim como a falta de planejamento e investimento em infraestrutura, 

E, por fim, mas não menos importante, o aumento do transporte individual e a falta de integração de diferentes modais urbanos.

E é justamente esta questão que abre espaço para falarmos sobre o impacto das scooters elétricas na mobilidade urbana.

Meios alternativos de transporte

Impacto das scooters elétricas na mobilidade urbana

As scooters elétricas estão entre os meios alternativos de transporte que podem contribuir para a mobilidade urbana

Conforme vimos anteriormente, o aumento no número de carros na rua é um dos desafios da mobilidade urbana, certo?

Neste sentido, podemos dizer que investir em meios alternativos de transporte seria uma das formas de contribuir com este conceito. 

Principalmente veículos não motorizados ou que utilizam, preferencialmente, combustíveis sustentáveis. Como é o caso da scooter elétrica. 

Outra possibilidade é a diversificação dos modais de transporte, para diminuir o uso dos veículos que utilizam combustíveis fósseis, como carros e motos, nas ruas. 

O que são combustíveis fósseis? Entenda!

Isso significa que você pode, por exemplo, ir de bicicleta, patinete ou hoverboard até a estação de metrô mais próxima e deixar o carro somente para os deslocamentos do fim de semana.

Scooter elétrica ou patinete: qual é a melhor opção?

O que é e como funciona a scooter elétrica

Em contrapartida, nem todo mundo entende muito bem o que é e como funciona a scooter elétrica.

Dúvidas sobre a Scooter Elétrica: Conheça e desvende as principais

Então vamos lá falar um pouco sobre este veículo, que é a nossa especialidade.

Conforme o Código de Trânsito Brasileiro (CTB), a scooter elétrica é classificada como um ciclomotor.

Isso significa, inicialmente, que trata-se de um veículo de duas ou três rodas, provido de um motor de combustão interna.

Ou seja, é movido à energia elétrica, por meio de uma bateria recarregável, geralmente de lítio. 

Além do mais, sua cilindrada não excede 50 cm³ e sua velocidade máxima de fabricação não extrapola 50 km/h. 

O design é outro diferencial da scooter elétrica, já que este modelo não possui quadro central.

Outrossim é que seu motor elétrico fica acoplado à roda traseira, enquanto as baterias ficam na plataforma.

Apesar dos diferenciais, emplacamento, habilitação na categoria A e equipamento de proteção individual são indispensáveis. 

Scooter elétrica vale a pena? Veja prós e contras antes de decidir

Impacto das scooters elétricas na mobilidade urbana

Agora que você já sabe mais sobre o veículo e o conceito, fica muito mais fácil falarmos sobre o impacto das scooters elétricas na mobilidade urbana. 

Uma das propostas deste conceito, conforme vimos, é investir em novas formas de locomoção.

E que sejam, sobretudo, mais práticas, econômicas, eficientes e com menor impacto ambiental. É justamente aí que entra a scooter elétrica.

Além de ser mais ágil, as scooters elétricas demandam menos espaço nas ruas, inclusive para estacionar. 

Sem contar que emitem menos ruídos e ainda contribuem com a redução da emissão de gases na atmosfera. 

Seu valor pode até não ser muito acessível, mas ainda é mais baixo do que o preço de aquisição de um carro.

Qual é o preço da scooter elétrica no Brasil? Descubra!

Além do mais, você não terá gasto com combustíveis e, inclusive, com manutenção. E o custo da recarga é irrisório. 

Moto elétrica: uma alternativa para fugir da alta do combustível

Em suma, a scooter elétrica não é só uma opção viável e econômica para percorrer pequenas e médias distâncias.

Mas, sobretudo, uma forma de diminuir a dependência dos veículos emissores, reduzir o tráfego e melhorar a acessibilidade nas cidades.

Conheça também o conceito de micromobilidade

Impacto das scooters elétricas na mobilidade urbana

A micromobilidade mostra que veículos leves podem ser adotados nos pequenos deslocamentos

As scooters elétricas não fazem parte dos modais da micromobilidade. Ainda assim, é importante abordarmos este conceito, pois seu propósito é bem similar.

Micromobilidade: o que é e quais veículos fazem parte

Para contextualizar melhor, vamos pegar uma situação que é muito comum nas cidades grandes: a utilização dos carros inclusive para percorrer pequenas distâncias. 

O mais sério neste caso é que, muitas vezes, vemos apenas uma pessoa dentro desses veículos, resultando em ruas e estacionamentos lotados, lentidão, congestionamentos.

O conceito de micromobilidade visa contrapor justamente esta visão, ao mostrar que veículos leves podem ser adotados nesses casos.

E mais: com muito mais agilidade, economia e eficiência. 

Afinal, estamos nos referindo a deslocamentos curtos, de até 10 km, que muitas vezes não são considerados curtos o bastante para se fazer a pé. 

Ao mesmo tempo em que também não são distantes o bastante para tirar o carro da garagem ou recorrer ao transporte público. 

Quais são os veículos de micromobilidade

Conforme já adiantado anteriormente, as scooters elétricas não estão entre os modais da micromobilidade.

Mas quais são os veículos que compõem este conceito então? Vamos lá conhecê-los?

Em suma, são veículos leves, de propulsão humana ou elétrica, que atingem velocidade baixa, de até 25km /h, ou moderada, de até 45 km/h.

Vale destacar que os veículos compartilhados também entram na lista junto aos particulares.

Entre os principais, podemos citar:

Thiago Queiroz

  • 02.05.2023

Você também vai gostar de ler