Moto elétrica ou flex: qual é a melhor opção?

Home / Sem categoria / Moto elétrica ou flex: qual é a melhor opção?

moto elétrica ou flex
22 dez, 2022

Se você está pensando em comprar ou até mesmo trocar de motocicleta, provavelmente deve estar se perguntando qual é a melhor opção: moto elétrica ou flex?

Mas a resposta não é tão simples quanto parece, não é mesmo? Afinal, os mais diferentes aspectos devem ser analisados e não somente preço, como muitos podem imaginar.

Neste artigo, apresentaremos como funciona, na prática, a moto elétrica e a moto flex e as principais vantagens e desvantagens de cada modelo.

Desta forma, ficará muito mais fácil descobrir qual opção se encaixa melhor na sua realidade. Vamos lá?!

Moto elétrica ou flex: entenda, primeiramente, a diferença entre elas

Em primeiro lugar, você sabe dizer qual é a diferença entre a moto elétrica e a moto flex?  Por mais óbvio que pareça ser, é importante falarmos a respeito.

Vamos começar pela moto flex, que é o modelo mais antigo.

Além de um motor a combustão, ela conta com sensores e mecanismos no sistema de injeção e ignição que permitem a utilização não apenas de gasolina, mas também de etanol e, inclusive, da mistura desses dois combustíveis.

Já a moto elétrica não possui motor a combustão e tanque, como acontece no modelo convencional, mas sim um motor elétrico e bateria.

Baterias elétricas: o futuro da mobilidade sustentável e econômica

Isso significa que, enquanto a primeira requer paradas em postos de combustíveis, a segunda demanda apenas energia elétrica.

Agora vamos lá entender como cada uma funciona em diferentes aspectos?

7 fatores que devem ser considerados na hora de escolher entre a moto elétrica ou flex

1- Preço

Começando pelo preço, que é uma das primeiras características que as pessoas costumam avaliar, qual será que é a opção mais vantajosa: moto elétrica ou flex?

Até pouco tempo atrás, podíamos dizer que a motocicleta biocombustível liderava neste quesito.

Isso, claro, se pegarmos como base os modelos mais conhecidos e acessíveis de cada categoria, que são a Honda Biz 125 e a Shineray SE3.

Mas, hoje, a realidade é outra. Enquanto a Honda Biz 125 está sendo comercializada por a partir de R$ 13.110, a Shineray SE3 pode ser encontrada, hoje, por valores a partir de R$ 10.990.

Moto elétrica barata: 5 modelos e preços em 2022

Todavia, como não é somente isso que conta, vamos seguir a análise.

2- Abastecimento

moto elétrica ou flex

Enquanto a moto elétrica é abastecida pela energia, o modelo flex aceita gasolina, etanol ou até mesmo os dois juntos

Dados da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) mostram que, na semana de 11 a 17 de dezembro, o preço médio do litro de gasolina e de etanol recuou para R$ 4,94 e R$ 3,82, respectivamente.

Apesar da queda registrada neste período e também nos últimos meses, ainda foram encontrados postos cobrando os valores de R$ 7,69 e R$ 6,45.

A grande vantagem da moto flex é que você pode optar pelo combustível mais barato.

Por outro lado, para quem reside em regiões mais frias, o abastecimento com gasolina pode ser necessário de tempos em tempos para evitar dificuldades de partida e desempenho.

Já a recarga da bateria de uma moto elétrica chega a custar pouco menos de R$ 3 por carga.

Moto elétrica: uma alternativa para fugir da alta do combustível

Isso significa que, até mesmo para uma pessoa que precise recarregar a bateria diariamente, o custo será de apenas R$ 90 por mês.

Uma despesa bem inferior à de quem utiliza biocombustível, não é mesmo?

Quanto custa carregar uma scooter elétrica? Aprenda a calcular

3- Autonomia

Por outro lado, não podemos deixar de pontuar a diferença de autonomia entre a moto elétrica e a moto flex.

Um modelo de combustão de baixa cilindrada, como a Honda Biz 125, por exemplo, chega a rodar 300km com um tanque cheio. Já a autonomia da Shineray SE3 é de até 80 km.

O grande diferencial da moto flex, neste caso, é que você tem a possibilidade de encher o tanque e percorrer um longo caminho de uma só vez.

Já com a moto elétrica, por mais que você ande com uma bateria extra, sua autonomia ainda é praticamente metade da moto convencional.

Autonomia da scooter elétrica: confira a ficha técnica de 5 modelos

4- Tempo de carga

Outra questão que não pode ser esquecida é que a moto elétrica demanda um tempo para atingir a carga completa da sua bateria e poder rodar.

No caso da Shineray SE3, por exemplo, o tempo de carga gira em torno de 8 a 10 horas.

Em contrapartida, a moto flex pode ser utilizada a qualquer momento, desde que tenha combustível em seu tanque.

O que, vamos combinar, que é muito mais fácil, considerando que há diversos postos de combustíveis espalhados na cidade, não é mesmo?

5- Velocidade

moto elétrica ou flex

Apesar de a moto flex ser mais veloz, a moto elétrica costuma ser mais arisca

Quando o assunto é moto elétrica ou flex, não podemos deixar de falar também da velocidade. Você sabe dizer qual delas é a mais potente?

Considerando os modelos mencionados no decorrer do artigo, por exemplo, enquanto a Shineray SE3 atinge uma velocidade de até 50km/h, a Honda Biz 125 já consegue chegar a 100km/h.

Uma diferença significativa, não é mesmo?

E isso vale, inclusive, se pegarmos a moto elétrica com maior velocidade disponível no mercado brasileiro: a Volts EVS, que atinge velocidade máxima de 120 km/h.

Em contrapartida, as motocicletas flex atingem 200km/h ou até mais.

Por outro lado, há de se ressaltar que a moto elétrica costuma ser mais “arisca” do que os modelos flex.

Isso porque ela é capaz de atingir sua força máxima em questão de segundos, enquanto os modelos à combustão ganham força de forma progressiva e demandam aceleração.

6- Variedade de opções

Já em relação à variedade de opções disponíveis no mercado, não há dúvidas de que a moto flex lidera neste quesito.

Afinal, hoje em dia é possível encontrar modelos à combustão de pequeno, médio e grande porte; opções econômicas ou mais potentes; e, ainda, motos para a cidade ou para a estrada.

Já a moto elétrica que é encontrada hoje, no Brasil, é mais voltada para as vias urbanas.

Tal modelo não costuma ser indicado para quem gosta de pegar estrada, em virtude da baixa capacidade de sua bateria.

7- Manutenção

Por fim, quando nos referimos à manutenção, você sabe dizer qual é a opção mais vantajosa? Moto elétrica ou flex?

Sem dúvidas a moto elétrica se destaca neste quesito. Por mais que sua bateria tenha um alto custo, as manutenções são menos frequentes, mais simples e, inclusive, mais baratas.

Como funciona a manutenção em moto elétrica?

Afinal, o motor da moto elétrica possui uma quantidade inferior de peças móveis, se comparado aos modelos à combustão.

Com isso, a versão movida à eletricidade também não requer trocas de óleo, filtros e velas de ignição, por exemplo. Apenas de itens como pneus, pastilhas de freio, baterias e peças externas danificadas.

Moto elétrica ou flex: qual escolher?

Agora que você já sabe como cada modelo se comporta nos mais diferentes critérios, ficou mais fácil decidir entre a moto elétrica ou flex, não é mesmo?

Aqui, optamos por não eleger a melhor ou a pior porque esta é uma decisão muito particular, que deve considerar rotina e necessidade de cada condutor.

Para quem gosta de viajar de moto, por exemplo, a moto flex é a melhor opção por conta da sua potência e autonomia.

Já para quem percorre pequenas distâncias e busca economia, a moto elétrica pode ser mais vantajosa.

Agora conta pra gente, considerando as vantagens e desvantagens de cada uma, qual é a melhor opção para você: moto elétrica ou flex?

Posts recentes

Acessórios para scooter elétrica: tudo o que você precisa

Acessórios para scooter elétrica: tudo o que você precisa

fevereiro 21, 2024
Scooter por assinatura: conheça esta modalidade

Scooter elétrica por assinatura: conheça este modelo

fevereiro 20, 2024
Bicicleta elétrica em Goiânia: 10 motivos para ter a sua

Bicicleta elétrica em Goiânia: 10 motivos para ter a sua

janeiro 09, 2024

Tags

Você também vai gostar de ler